Maria Georgina
by on 2 January, 2022
137 views

A Natureza como um reflexo de nós próprios, nos revela que somos partícipes de uma Vida Maior, através dos processos internos que percorremos juntos como Consciência Planetária.

Neste ano tivemos a oportunidade de ver o plantio das plantas forrageiras em seu tempo adequeado, no início do período de Inverno, a realizar o seu corte pouco antes dos primeiros plantios da Primavera e essa foi a primeira ocasião a trazer inspiração para o texto abaixo. Em um outro momento, a reforçar o nosso entendimento, ao visitarmos o parque de uma cidade nos meses de frio, víamos os pastos já altos e a sementarem. A imagem que segue o artigo mostra, meses depois, quando estivemos presentes ali poucos momentos após a limpeza destas plantas ter sido feita, revelando a beleza – até então escondida pela pastagem – das árvores que ali crescem.


Depois que deitamos e dispomos as plantas forrageiras sobre o chão, se nos fizermos presentes ali naquele espaço após essa limpeza, poderemos ver e escutar as plantas que já estavam naquele sistema de uma nova forma. Com ares de renovação, uma beleza que sempre esteve ali e que era apenas escondida por este 'mato', vem à tona e agora pode ser vista mais claramente.

Este é um movimento que acontece, também, dentro de nós. Muitas vezes, nos encontramos envoltos por conflitos internos ou situações adversas e não enxergamos a beleza que escondem, mas que vive no nosso interior e se manifesta através das nossas qualidades. Na maioria das vezes, nem percebemos como as coisas vão se resolvendo, quando vemos já estamos mais limpos, mais leves. E é só neste momento que podemos ver como a beleza fica ainda mais bela e como nós crescemos com aquilo que julgamos doloroso. 

Assim como semeamos as forrageiras, intencionalmente, para alimentar aquele solo na lavoura após o corte, nós também somos nutridos no momento em que ela é cortada em nós, nos fazendo crescer em consciência. Assim como quando podamos uma árvore para auxiliar o seu crescimento, nós também somos podados, facilitando a subida ao interior do nosso ser. Existe uma Força, que difere da nossa e que está além do esforço humano. Em prol da evolução e da sutilização da matéria, esta Força, que muitas vezes age sem que possamos ver, trabalha para que tudo receba cuidado e cresça em Amor.

Que possamos reconhecer a importância de ambas circustâncias e como ocorre essa mútua relação, sempre uma a suceder a outra. Observemos qual destas se desponta mais no atual momento e a aceitemos com gratidão, sabendo que trabalha em nós por algo Maior.


"É a nossa consciência interior, o peregrino autoconvocado, que deve servir ao mundo neste trânsito. Ele é quem conhece a senda. Se permitirmos, como trajes que somos, que seus movimentos possam fluir nesses níveis, viveremos com gratidão, inclusive, os espinhos e a poeira do caminho." - Daniel Gagliardo 

Topics: reflexões
Like (3)
Loading...
3
Humberto Lemgruber
Bela reflexão.
9 January, 2022